Pular para o conteúdo principal

Siga por email

Entrevista: Elenco da peça "Herdeiros"

3
Fotos: http://www.portalcatalao.com.br/
Acho super importante, nós adolescentes frequentarmos mais o teatro, cinema e  outros tipos manifestações artísticas, para criarmos uma boa identidade cultural. E em cidades do interior (a.k.a a minha Itabira, haha) isso não é tão acessível se comparado a cidades grandes. Mas buscando mudar isso, entra em cena o Projeto Jovem Tour há 20 anos na estrada, percorrendo o Brasil.
 Nesse fim de semana, aqui em Itabira no Teatro da Fundação, rolou a comédia jovem "Herdeiros", parte do tal projeto! A direção e o texto, são do conhecido autor carioca, Francis Mayer. No elenco estão Guilherme Leicam (@guilhermeleicam), Eliseu Carvalho (@eliseu_oficial), Keff Oliveira (@keffoliveira) e Maurício Silveira (@MSilveira2), que vivem personagens que são sucessivamente homossexual, depressivo,  gigolô canalha e um garanhão boa vida. A peça conta a história dos irmãos, que "perderam" os laços familiares com o passar do tempo e amadurecimento (ou não!). Após três anos, eles se reencontram no apartamento da mãe, em Copacabana, quando ela misteriosamente  desaparece durante um fim de semana. [...]

Tudo acontece num dia de domingo, entre a tarde e a noite, onde eles se encontram pra decidir o que fazer devido o desaparecimento da mãe deles, já que são obrigados a esperar 48 horas para  a formalizar o sequestro junto a polícia. É durante esse tempo que eles começam a discutir suas vidas, de maneira (muito!) engraçada, é claro.

Bom, eu (Joyce), Gabi, Evellyn, Júlia, Juliana e Thamires (trupe ddg), fomos assistir a peça e tivemos a oportunidade homérica de conversar com eles! O nosso mini chat rolou logo depois da apresentação e feita pela Gabi (na sexta!) e por mim no sábado.


Gabi - O que vocês acharam do público?
Guilherme: O público foi o melhor que a gente teve até hoje, em respeito, né. Que geralmente como é um público muito jovem, as meninas ficam muito eufóricas (risos).
Eliseu: Não é que elas sejam mal educadas, mas é que a emoção fala mais alto e elas ficam muito eufóricas e acabam atrapalhando um pouco a peça.
Gui: E hoje, com o apoio que teve aqui da cidade, acabou vindo um público mais velho também, um pessoal que respeita mais mesmo, que já tá acostumado a ir ao teatro.
Eliseu: É, quando viam que a gente ia começar a falar, abaixavam o tom da risada e a gente conseguia continuar o texto numa boa...

Gabi - Vocês pretendem voltar? 
Gui: Ah, a gente apresenta amanha e segue turnê. Esse ano pra voltar fica meio complicado...
Eliseu:  Esse ano não sei... Mas talvez no ano que vem a gente volte, mas aí é com outro espetáculo.

Gabi - E agora a turnê segue pra onde?
Eliseu: A gente vai seguir em Minas, amanha a gente apresenta aqui e no domingo, Visconde do Rio Branco -Mg, segunda-feira Ponte Nova...
Gui: A gente tá vindo da Bahia. Fez Bahia,  Espírito Santo e agora estamos aqui. (MG)
Eliseu: Depois vamos pra Mato Grosso, Paraná... e Ponte Nova mesmo.
Gui: E o nosso projeto é esse, é ir até estados que não tem (teatro), talvez a gente pega uma mega estrutura... tem vez que a gente pega um auditório, ginásio, clube, escritório, salão... Aqui foi o melhor teatro até agora, né?!

Gabi - O que vocês acharam de fazer a peça?
Gui: Tcharam!!  A gente ama fazer a peça
Maurício: A gente ama fazer a peça, é muito bom.
Gui: E.. tem muita parceria também, a gente se diverte no palco...
Maurício: É muito bom a gente já se conhece no olhar, brinca bastante...

Gabi - Vocês são todos amigos?
Todos: Somos, somos todos amigos
Gui: Quer dizer, mais ou menos (risos)

sdds qualidade


No sábado, só eu, a Ju, Thamires e a Juliana fomos, mas a Gabi Carvalho tava lá em pensamento, haha!

Joyce - Como é trabalhar com o Francis Mayer? E como vocês o consideram como diretor?


Tudos: (risos) Ui!!! 

Keff: É um ótimo diretor!

Maurício: O reflexo tá no palco. é lógico que assim, cada um coloca a sua criação no personagem, mas aí tem o diretor de fora pra ir podando o que não é, o que não serve, aconselhando o que serve, então o resultado tá sendo esse. Tem que ser o que as pessoas gostam e tem um dedo do diretor no meio também.
Eliseu: O Francis é uma pessoal disponível, isso que é muito bom. Por que qualquer hora que a gente quiser falar com ele sobre a peça, ou quiser ensaiar, ele para a peça agora e ensaia aqui. Ele é disponível pra isso, então isso é bacana!
Keff: Tem que ter essa pessoa de fora pra olhar né, e ver o que funciona ou não. Às vezes o ator acaba não conseguindo enxergar certas coisas que o diretor faz.
Maurício: Sempre quem tá de fora tem um olhar melhor.
Eliseu: Tem o jeito estouradão dele, mas é gente boa. (risos)
Gui: Faz parte. (risos)

Joyce - Vocês se identificam com os personagens ou é totalmente o contrário?
Gui: não, não! (muitos risos). Posso responder primeiro essa pergunta...! Nem um pouco. Justamente, um bom ator é isso, é que faz totalmente o oposto dele, muito obrigado! (risos)

Eliseu: Eu também não me espelho, até porque o meu é alcoólatra, depressivo... E na real, eu sou um cara que toda hora a gente tá brincando aqui, fazendo vídeo, palhaçada, então não.

Joyce - E com relação às mulheres, vocês pensam como o seus personagens?
Todos: nããão!
Keff: não, eu sou super romântico... (todo mundo vez “awwwwn”) Eu não sou canalha viu gente? Que fique claro tá! (risos)  (Eliseu finge um espirro junto com um “mentira”), a minha mulher sabe disso. A única semelhança que eu tenho com meu personagem, na verdade é morar no mesmo lugar, na Barra da Tijuca. O resto é totalmente ao contrário!

Joyce - O que vocês acham de serem famosos, conhecidos? É algo difícil de lidar?
(o Gui fez um “cri” e todo mundo riu)
Maurício: Aí Gui, começa aí!
Gui: Então, depende...  É bom né, porque se o público tá gostando da gente, é sinal que tá sendo uma coisa positiva. Se a gente fizesse sucesso e passasse na rua e as pessoas tivesse nem aí  a gente ia pensar “nossa alguma coisa tá errada”. Mas a gente já tá acostumado. No Rio de Janeiro  o povo é mais ainda porque tem muitos atores que circulam diariamente né? E quando a gente vem no interior a febre aumenta mais ainda.

Joyce  -  Deixem um recado para as leitoras do DDG!
Eliseu: Vão sempre ao teatro!!!
Gui: É, cultura é importante!

Júlia pro Keff: Agora você tem que falar “eu sou romântico”, por causa da peça!
Keff:  (fez olhar fofo) Eu sou romântico!!! (muitos risos)
Eliseu: Nem combina ele falando né?! 

Então gente, como o Eliseu disse: 'Vá sempre ao teatro! Conheça autores e atores, enfim amplie seus conhecimentos.' Espero que tenham gostado! 
beijos,


Comentários

  1. haha' eles são muito lindos.

    ResponderExcluir
  2. Isabella C.23 maio, 2012

    Adoreiiii, parabéns meninas cada vez melhor o blog!

    bjss

    ResponderExcluir
  3. Adoooooooorei!
    Sério, parabéns pela iniciativa de trazer o assunto teatro! Muitas jovens, como vocês, deveriam ir mais e apreciar essa cultura maravilhosa dos teatros. Eu amooooo s2
    Que gatinhos, hein?

    Beijos, Isa do BláBláBlá... Journal.com
    Ah, e aproveitando rapidinho o espaço, gostaria de divulgar o sorteio que está rolando lá no blog, em parceria com a Lovely Acessórios. R$ 30,00 em qualquer pelça da loja. Não pode ficar de fora dessa, né? É só seguir as regras, cruzar os dedos e torcer.
    SORTEIO: BláBláBlá... Journal.com + Lovely Acessórios

    ResponderExcluir

Postar um comentário

♥ Obrigada por visitar o nosso espaço :D
♥ Se preferir comente usando a opção: Comentar como: Nome/URL. Aí é só adicionar seu nome e caso queira, o link de alguma rede social ou se você tiver um blog, deixa o endereço dele pra gente retribuir a visita.