As duas coisas que devíamos fazer menos.

Found on Flickr
No pouco que vivi da vida aprendi um par de coisas que sempre me ajudaram muito a escapar de momentos desagradáveis, que certamente não me fariam bem a longo ou curto prazo. Mesmo ainda não vivendo a vida dos meus sonhos ou pelo menos, o mínimo dela, sinto a necessidade de sempre agradecer e manter minha mente limpa o suficiente para conseguir focar nos objetivos que pretendo alcançar ao longo da minha jornada pela vida.
A primeira delas é, não reclamar. Sei que parece uma tarefa impossível, quase que inalcançável. Porém nada que com um pouco de prática, não se faça mais fácil com o passar do tempo. Eu ainda tenho que conviver com minha mãe reclamando de suas dores mais psicológicas do que físicas todos os dias, e minha irmã mais nova jogando na minha cara que eu não faço as coisas direito. Mesmo tendo essa carga um pouco pesada de seres reclamantes me seguindo para onde quer que eu vá, aprendi a controlar meus pensamentos e sentimentos de maneira que eu apenas os ouço naquele momento e quando elas fecham a boca, não sei mais do que elas estavam falando. Óbvio que de forma superficial, do contrário não estaria falando delas aqui.

 Mas o que quero dizer é que pessoas que reclamam de mais tendem a realizar menos, além de se tornarem insuportavelmente chatas. E o importante disso é não absorver esses murmúrios, pois eles acabam afetando sua forma de pensar com relação a si mesma, já que se trata de pontos negativos sobre ti, jogados sem dó nem piedade na tua cara, resumindo não dê valor a isso. Quando penso em reclamar de algo, bloqueio essa onda com outro pensamento que me faça refletir sobre o que ia reclamar. Um exemplo: "que droga, não tenho nenhuma roupa descente para sair", mas logo penso, "não era eu quem tinha dito que seria uma pessoa que veste o básico e faria do meu estilo, uma coisa simples e minimalista? Não preciso de mil roupas, apenas uma camisa branca, uma calça jeans e a sapatilha surradinha que amo." E assim, a ideia de reclamar que me rodeava, simplesmente se desfaz na outra linha de pensamento que acabei criando para me lembrar de algo que já tinha planejado anteriormente.

A segunda coisa que aprendi, trata-se de não criticar. Nem aos outros, nem a mim. Essa é outra coisa muito difícil de fazer. Nós vivemos numa geração que julga sem nem mesmo pensar. A crítica é um tipo de julgamento. O que me incomoda são as pessoas procurarem pelos mais mínimos defeitos alheios e tentam fazer deles coisas maiores, a mídia faz muito isso, a propósito. Mas vamos refletir sobre algumas coisas: como você se sentiria ao ouvir alguém falando sobre um defeito seu? Criticar faz-te sentir melhor?
Por favor, ninguém é perfeito nesse mundo. Nem eu, nem você. Não faz sentindo algum falar em voz alta algo negativo a respeito de alguém ou de si mesmo. Ao invés disso, faça o que eu faço: foque em um ponto positivo. Fale em voz alta sobre como seu cabelo está macio hoje, como sua pele está mais brilhante, como aquela pessoa tem um estilo legal e não o que ela devia ter escolhido para combinar melhor com aquela roupa. Entende o que eu quero dizer?

Não é algo que conseguirá fazer da noite para o dia. No entanto, garanto-lhe que é possível. Não estou dizendo que não verá mais defeitos nas pessoas, porém irá ver aquilo como parte dela, como algo que a torna humana, individual e única. E mesmo que não te agrade, guarde apenas para ti. Não é preciso compartilhar com alguém.

A propósito, lidar com pessoas que criticam é desagradável. Sinto-me desconfortável quando alguém faz isso quanto estou por perto. Digo, posso até ter percebido, mas ao botar a lição supracitada em prática, prefiro manter-me calada. Faz parte do processo. O que normalmente faço é apenas dar um meio sorriso mostrando que não me sinto bem quando ela fala daquela maneira. Nada de comentários para complementar a crítica dela. Nem mesmo me atrevo a concordar.

"Você é o que você transmite." Se partimos desse pensamento, não só deixaríamos de lado as críticas desconstrutivas e os julgamentos desnecessários, mas tudo aquilo que nos trava de sermos pessoas melhores.

6 comentários

  1. Nossa! Murmuração é uma coisa horrível, tremendamente desagradável! Mostra um coração insatisfeito. Com certeza as pessoas tem que procurar vencer isso, mas acho difícil no mundo de hoje. Só Jesus pra ajudar nessa de verdade!

    Meu Blog
    Página no Facebook

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é? Dá vontade de me afastar instantâneamente! Como dizem por "só Jesus na causa".
      Obrigada pelo comment! adorei teu blog <3

      beijo

      Excluir
  2. Lindo o seu texto Joyce!Concordo muito com você, o que nós transmitimos diz muito a respeito do que nós somos. E o que não falta são pessoas sempre focando no negativo delas e dos outros ao redor também.Fica difícil conviver com isso,principalmente dentro de casa,onde não temos como fugir ainda. Essas pessoas acabam afastando a gente delas. Por mais que nós tentemos não ser afetados acaba tornando as coisas mais desagradáveis em casa.O que a gente pode fazer é não cometer os mesmos erros dessas pessoas.
    Parabéns pelo texto!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Hingrett! <3 É exatamente isso, querendo ou não isso nos afeta, mas não vamos nos deixar abalar.

      Excluir
  3. MDS EU TO APAIXONADA POR ESSE BLOG! desculpa estar enchendo o saco de vcs haha, mas vcs sao tao fofas e lindas, escreve super bem essa menina, arrasou joyce <3 vou acompanhar o blog todo dia agora withanny.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nháaaaa, que linda!! Que isso menina, pode encher o saco o quanto quiser, UHUAHEAHU obrigada obrigada e obrigada <3 Também tô seguindo o seu e vou aparacer lá sempre, tá?

      beijo ♥

      Excluir